quinta-feira, 6 de maio de 2010

Se tens olhos, Ana Thereza, por que não olhas pra mim?


São efêmeros os versos que se escrevam
quando Ana Thereza os despreza a todos
Também são vulgares as melodias feitas
se ela as rejeitar como rejeita-se um dote
São da mesma forma fúteis os galanteios
e estéreis todas as formas de s'expressar
Se Ana Thereza não presta atenção neles.

Oh, Ana Thereza, se tu tens olhos a ver
Por que não olhas para mim?

Nenhum comentário:

Postar um comentário