segunda-feira, 25 de julho de 2011

Se tu me visses




Hoje meu corpo acordou com uma vontade

Danada de te ligar, de pedir para que venhas

Que, sem pensar, já me vi cantando, me arrumando

Para hoje a noite.

Tinha um sorriso tão alegre em minha face,

Que se tu me olhasses, me desejarias mais.


Hoje eu me senti tão alegre, com ânsias

De dizer que és meu tudo, meu bombom

Que, pensei até que fosse ciúme

De te ver com outra.

Fiquei tão cheirosa e tão arrumada

Que se tu me visses, me abraçarias.


Hoje, querido, desejei tanto que estivesses aqui,

Sonhei contigo e estavas tão lindo

Que, sem me dar conta, me fiz de tonta

E até gritei de amor.

Te quis tanto, de dar espanto essa paixão

Que se tu me visses, quiçá tu risses de mim.


O que será que me deu hoje

Que penso tanto em ti e te quero tanto

Que, sem notar, estou eufórica e até melancólica

Querendo dengo?

Ah, amor, te desejo tanto, e mais um tanto

Que, se tu me visses, virias já.


Então vem logo, se possível agora

Que te espero desse jeito, tão elétrica

Que, sem ligar, vou te aguardando

Bonita e cheirosa

Com um sorriso tão alegre e sincero,

Que, se tu me visses, me amarias já.

Um comentário:

  1. Que amor é este que o poema retrata? Àquele que é entrega e está empre se enfeitando e esperndo pelo ser amado? O amor é assim entrega e pedinte. Poema interessante.

    Convido vocês a visitarem meu blog.
    Google: poemas de neusa azevedo

    ResponderExcluir