domingo, 10 de julho de 2011

Reflexos perdidos na cidade


Reflexos perdidos na cidade

Toda cidade é um movimento só

Um pêndulo só

Um desvario só

Que se incrusta na pele

Nos lábios, pulmões e alma...

Mas que, por onde andarmos

Nos dá a entender que

A vida se mexe

E se mexe por haver

Mesmo nos desencontros

Um outro tipo de encontro,

O da solidão e o da mágoa

O de uma alegria e de uma tristeza

Ou de nós mesmos

Diante dos diversos espelhos

E vitrines das nossas emoções.


São reflexos esparsos

Mas que permanecem tão intactos

Que ao todo

Chegam a ocupar espaço


Onde estão os vazios?


Nenhum comentário:

Postar um comentário