quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Ana Maria quer um pouco de sossego


Seu olhar corria os móveis
desde o quintal ao terraço.
Ana Maria almejava a luz
que despisse os detalhes
dos desejos que ela tinha
guardados a sete chaves.

“A casa ta uma bagunça!
tenho logo de limpá-la”
Ana Maria com a vassoura
varria o piso da morada
buscando nas impurezas
o pôr-lhes fim de imediato

Na parede, fotografias
algumas amareladas,
pareciam dizer um tempo
em sorrisos registrados.
Ana Maria via as fotos
com os olhos prosternados.

“Mas Jesus, quanta bagunça!
É poeira em todo lado!”
Ana Maria não se sustém
ante os quadros empoeirados,
tampavam a luz que queria
plenamente projetada

“Eu to ficando é doida!”
Disse com o olhar em lágrimas.
Ana Maria não entendia
o porquê do que buscava.
Talvez porque em sua nudez
O branco nada ocultava.

Ou porque as velhas cortinas
tampavam a luz da sala.

Nenhum comentário:

Postar um comentário