quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Olhares


Olhares

Cá me encontro, tu me vês
caída como um anjo caído
que machucas e não o vês
o deixas só e sem sentido
e assim de vais
pra nunca mais
sem nem meu pranto notares
apenas uma questão d'olhares

E cá eu fico, somente triste
sem saber o que eu te fiz
ou a razão por que partiste
e me deixaste tão infeliz
que só eu sei
o que passei.
Mas falta tu reparares
apenas uma questão de olhares

E por que te vais novamente?
E me deixas jazer esquecida
como um capacho somente
que te traz mal a mal dormida
e fica assim
e é o fim
De todas as esperanças a dares
as tuas questões de olhares...

Mas vai-te embora, parte
que a dor ja muito lateja
e ficar só me dará alarde
estejas tu onde estejas
há de ficar
o teu lembrar
que me dizia aos pares
amor é uma questão de olhares

Tu foste embora e eu fiquei
sem rumo ou caminho próprio
nem sei se te esquecerei
tua carne foi como ópio
algo vil
me destruiu
uma doença a sarares
sem haver questão de olhares

Um comentário: