quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Eu sabia que dançavas!


Eu bem sabia que tinhas a dança
quando em pose sorrias na varanda
quando em gestos esperavas uma rosa...
Rosinha, eu sabia que bailavas.

Com a mesma leveza com que sentias
o frio no degrau das escadas,
quando tremendo ao vento te aquecias,
tuas mãos ágeis já compassavam.

E compassavam, Rosinha, com o corpo
que aos poucos, todo se enlaçava,
em vultos de ardentes carícias
sobre as camas de lençóis de holanda.

Eu sabia, Rosinha, eu sabia que dançavas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário