terça-feira, 12 de março de 2013

A pomba e a serpente.



Sede prudentes como as serpente e simples como a pomba. (Mateus 10:16)

Filha, não corras pelas pradarias!
Deixa-te estar imóvel e triste
nas solidões desta campina...

Mãe, eu nasci livre e salto
não me posso quedar quieta
se meu coração é um pássaro.

Filha, quebrarás as asinhas
que eu cuidei com o orvalho
que se colhe das colinas...

Deixa estar, eu vou mãe amiga,
percorrer estes verdes prados
até o pinhal de Leiria...

Leva-me pelas mãos pequeninas
que hei de sustentar as tuas
quando chorares das feridas.

O tempo há de sanar o peito,
mãe, que sei que sangrará
por sobre os campos do Alentejo.


E assim se foram mãe e filha
percorrendo as pradarias
uma cantando, outra chorando,
nas esquinas de toda a vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário