sexta-feira, 8 de outubro de 2010

A flor mais feia


A flor mais feia

Que dirias se
ao invés de rosas
flores feias te dessem?
Daquelas que
não tem forma, olfato
e nem mesmo pétalas
das quais se diga?

Ora, dirias que
não são rosas
mas flores feias
das quais olhas
mas não atentas
por não cheirarem
nem terem forma
e serem feias.

Dirías da rosa mil pendores
Louvarias a harmonia
de seus traços;
a fragilidade com que
se entrega, o verso que
ela inspira e a beleza
com que a mesma
é a mais louvada das flores

e se te lembrares
daquela flor mais feia
seria só pra fazer dela a menos
Porque a flor mais feia
não se colhe: se arranca;
não se rega: se mata;
nem se adjetiva: despreza-se!

Mas outrem diria-te
que, na verdade,
a flor mais feia é bela.
E mais, diria que é
a mais bela
por ser a mais feia
pois sendo feia
ainda assim é uma flor.

Quem sabe se
ao receberes flores feias
recebas o belo
de estar resistindo.
De seres a única
que no meio de tantas outra flores
tenhas o direito de dizer
que, apesar de seres

a mais indigna
de todas as flores
és digna o suficiente
para adornar o jardim oculto
da natureza -
como o faz a flor mais feia
que sem forma, odores
e pétalas fura o tempo

o medo, a mágoa
e o desprezo
impondo à beleza
sua fealdade de flor
contra o orgulho
e o preconceito
e arrogância
e, por fim, a morte

Porque a flor mais feia
marca como uma ferida
cuja cicatriz permanece
pra sempre!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário