sexta-feira, 27 de maio de 2011

Homenagem a Deyse


Ainda que eu usasse todas as palavras do dicionário,
todos os vocábulos estrangeiros, dialetos, línguas artificiais,
ainda que eu inventasse milhares de palavras
verbos, orações subordinadas, sintaxes, objectos..
mesmo assim nao poderia exprimir o signifcado
de tua presença em minha vida...
é algo que não se define mas existe porque tu existes
e és o que és, não o que a semantica linguistica define
como lexico dentro de um contexto... e sim
porque es a minha amada real, de carne, osso e sentimentos.
Como uma flor singela, ou melhor, como tu mesma.
Te amo

Nenhum comentário:

Postar um comentário